Vítima de 42 anos morreu após ser jogado de viaduto no Rio Bauru; suspeito de tentativa de assalto foi preso. Dona de loja contou ao G1 que fez bolo para comemorar a data do cadeirante, que era morador de rua.




O cadeirante Luiz Antônio Barreto, que morreu nesta quinta-feira (29) após ser jogado de cima de um viaduto durante uma tentativa de assalto, em Bauru (SP), teve uma manhã de festa e comemorações dois dias antes de sua morte, quando completou 42 anos na terça-feira (27).

Segundo a comerciante Juliana Biondi, de 47 anos e que mantém uma loja de roupas infantis próximo ao cruzamento da Avenida Rodrigues Alves com a Rua Treze de Maio, havia três meses que o cadeirante frequentava seu comércio pedindo ajuda e oferecendo em troca balas e doces. Segundo o G1 apurou, a vítima vivia em situação de rua havia anos, conta Juliana.




“Ele não vendia doces, apenas pedia uma ajuda, e distribuía balas aos motoristas, mesmo para aqueles que não tivessem uma moedinha para dar. Era gentil e não incomodava ninguém, estamos todos muito sentidos”, diz a comerciante.