O pai de uma menina de 4 anos que morreu engasgada com a comida enquanto jantava com a família, em Jundiaí (SP), fez um post nas redes sociais desabafando sobre a morte da filha após o caso ganhar repercussão.




No post, Diego Alves Pereira conta que a criança nasceu com problema no esôfago, passou por cirurgias e que tinha problema com engasgamento cinco vezes por dia. “Não foi descuido. Quem nos conhece sabe o cuidado que tínhamos com ela”, disse.

Rebecca Rayane da Silva Pereira morreu no dia 23 de outubro. Segundo a Prefeitura de Jundiaí, a menina morreu antes de chegar na UPA do Vetor Oeste. O corpo foi encaminhado para Instituto Médico Legal (IML) e a Polícia Civil aguarda o laudo que apontará a causa da morte.




Ao G1, Diego contou que a filha estava sentada na mesa jantando arroz, feijão e nuggets quando se engasgou. Ela foi encaminhada ao hospital, mas durante o trajeto, não resistiu e morreu.

“Eu estava trabalhando e minha esposa estava em casa com meu menino de sete anos. Na hora, minha esposa tentou desengasgar ela, mas não conseguiu e chamou o vizinho. Eles pegaram o carro e foram para a UPA”, relata o pai.

“Vai ser difícil agora. Era uma menina muito inteligente e muito querida por todo mundo.”
Doença
Ainda de acordo com Diego, a menina engasgava sempre que ia comer e a família já estava acostumada. Ela nasceu prematura com 33 semanas e foi diagnosticada com atresia no esôfago, uma má formação do órgão. Antes de completar 20 dias de vida, Rebecca já tinha passado por duas cirurgias.




“Dependendo do alimento, ela tomava um líquido junto e quando engasgava, às vezes conseguia voltar sozinha. Tem um procedimento cirúrgico que alarga, mas machuca muito e ela teria que ficar dias sem comer, mas ela não tinha o peso suficiente porque era muito pequena ainda.”

Segundo Diego, assim que Rebecca nasceu e passou pelas cirurgias, os médicos disseram que ela não conseguiria falar. Ao completar um ano, começou a se expressar por palavras, surpreendendo aos pais.




“A primeira palavra que ela disse foi ‘papai’. Desde quando ela aprendeu a falar, nunca passou um dia sem orar. A maior lição que ela nos passou foi a oração”, diz.

Fonte: G1.