Com a chegada da primavera, época de maior reprodução animal, os atendimentos na Associação Mata Ciliar de Jundiaí (SP) aumentaram.




De acordo com a entidade, são em média 10 ligações por dia de pessoas precisando de socorro, sem saber o que fazer com os filhotes que encontram na região, como aves que caem dos ninhos e animais que se machucam ou ficam órfãos.

Muitos deles, como bem-te-vis, saguis, corujas e ouriços, precisam ser amamentados na mamadeira. Um ouriço-cacheiro, por exemplo, chegou à associação ainda com a placenta e o cordão umbilical. Com isso, o analista ambiental Pedro de Almeida alerta para os riscos de tentar ajudar um filhote abandonado.




“Primeiro precisamos observar onde estamos. Por exemplo, um passarinho aprendendo a voar, empenado, numa área rural, provavelmente ele está aprendendo a voar mesmo e com os pais junto. Tirar esse animal desse espaço seria prejudicar ele”, explicou.

FONTE: G1.