A onda de calor que atingiu o Brasil nos últimos dias e quebrou recordes em vários estados está chegando ao fim, segundo informações do ClimaTempo. A chegada de uma frente fria nesta sexta-feira (9) traz fortes chuvas e diminui as temperaturas no Sudeste, Sul e parte do Centro-Oeste.




A massa de ar seco que estava na região central do Brasil perdeu força, e uma frente fria, que agora está entre a costa de São Paulo e do Rio de Janeiro, conseguiu romper com o bloqueio atmosférico. Com isso, a área de alta pressão começou a se deslocar para o oeste, permitindo a entrada da umidade do oceano na região sudeste.

Isso faz com que as temperaturas diminuam porque a chuva é um regulador térmico e refresca o ar. O calor extremo diminui, mas deve continuar quente na maior parte dos estados.

Chuvas

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) publicou alertas de tempestades e chuvas intensas para parte do Rio de Janeiro, sul e sudoeste de Minas Gerais e leste de São Paulo. O volume esperado é entre 20 e 30 mm por hora ou até 50 mm por dia.




Nuvens carregadas avançam sobre a Grande São Paulo e podem provocar chuva forte, raios e rajadas de vento de até 75 km/h. Há risco de granizo e formação de bolsões de alagamento.

Na faixa leste do estado de São Paulo e do Rio de janeiro pode chover a qualquer hora do dia, com raios e ventos fortes. Há previsão de temporais no Vale do Itajaí (SC) e no Paraná. Em Vitória a chuva deve ser mais pontual.

Em Minas Gerais, na região do Vale do Rio Doce, nuvens carregadas na região de Guanhães provocaram rajadas de vento de até 82 km/h.

No Norte do país a chuva deve ser forte em vários momentos, mas as pancadas intercalam com períodos de sol forte. No Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás também deve chover, mas apenas pancadas rápidas




No norte do Nordeste e na região que vai do leste do Espírito Santo até Alagoas ventos fortes do oceano podem causar ventania de até 70km/h.

Outras áreas de instabilidade se formam sobre o Sul do país com a chegada de uma nova frente fria que avança sobre o Rio Grande do Sul.

Fonte: G1.