O professor de medicina Ronald Sergio Pallotta Filho usou uma máscara preta para mostrar aos alunos de 1º ano do curso de Ciências Médicas da Santa Casa, em São Paulo, como se relacionar com pacientes pobres no consultório, segundo os estudantes. A prática conhecida como “blackface” é considerada racista e ocorreu durante aula ministrada na terça-feira (6), pela internet.




A Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo afirmou que repudia a “ação de cunho racista” e determinou abertura de sindicância (leia nota completa abaixo). O G1 entrou em contato com o professor, mas ainda não havia obtido resposta até a última atualização desta reportagem.

Os alunos filmaram a tela do computador com a demonstração teatral do professor. Na imagem é possível ver que o médico usa uma máscara preta e fala de forma jocosa simulando um paciente do Sistema Único de Saúde (SUS).




“Eu não como essas comidas de fraco aqui do SUS, não, sabe? Eu não como, não. Eu como comida de macho, de macho. Você está entendendo?”
Os alunos preparam uma representação formal para o Núcleo de Direitos Humanos da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Eles também querem levar o caso ao Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp).

Fonte: G1.