Dois macacos de uma ONG de proteção a primatas de Itu (SP) morreram depois que queimadas atingiram uma área de mata próxima ao viveiro da organização. As chamas começaram no dia 27 de setembro e duraram seis dias.




De acordo com a ONG, o fogo não atingiu os viveiros, mas a queimada refletiu na saúde dos animais e dois macacos morreram por estresse.

“A fumaça, o barulho e agitação anormal no nosso santuário provocam uma série de emoções na macacada. O medo e o estresse do pavor que estamos vivendo nos colocam completamente vulneráveis e fazem vítimas”, informou a organização em rede social.

Ainda segundo a instituição, um bugio chamado Hibisco morreu no dia 1º de outubro. Já o óbito de Néctar, um sagui, ocorreu no dia 30 de setembro. Ambos eram saudáveis.




Queimadas

A Polícia Ambiental fez uma perícia no dia 30 de setembro para identificar se é criminosa a queimada que ameaçou a ONG de proteção a primatas de Itu (SP).

Pelo menos 40 macacos foram retirados dos viveiros e levados para um local mais seguro, protegido do fogo e também da fumaça.




A instituição abriga cerca de 250 primatas vítimas de maus-tratos e tráfico de animais e atua há 35 anos. O local tem 20 mil metros quadrados e fica próximo a uma área de mata de difícil acesso.

São mais de 30 voluntários do Projeto Mucky que trabalham no local. Após a queimada, eles pediram ajuda nas redes sociais para arrecadar doações de equipamentos de segurança e água.