MATÉRIA G1 – É com um sorriso no rosto que um pequeno morador de Jundiaí (SP) mostra que não se abala pela deficiência que adquiriu logo após nascer: uma paralisia cerebral. Fabrízio Dias Luis tem 7 anos e, por conta da condição, não consegue se locomover sem a ajuda de outras pessoas.




A família criou uma vaquinha online para conseguir comprar um andador especial de R$ 14 mil. A arrecadação tocou tantas pessoas que em apenas oito dias cerca de R$ 18 mil foram arrecadados.

A mãe de Fabízio, a artesã Fátima Dias Luis, contou ao G1 que o filho nasceu prematuro, com apenas 32 semanas. Ele acabou sofrendo com uma bactéria ainda na UTI, o que resultou em uma hemorragia intracraniana. Como sequela, o pequeno acabou ficando com paralisia cerebral. Com algumas limitações, Fátima contou que o filho ficou com a parte motora comprometida e fala muito pouco. Mas como toda mãe, disse que sempre sabe o que ele quer e quando quer, e assim a comunicação flui como pode.

“Ele faz fisioterapia a semana toda praticamente. Faz diversos tipos de fisioterapia. De segunda a sábado, das 7h às 10h. Na escola ele entende bem, mas precisa mostrar tudo. Ele é uma criança muito iluminada, inteligente, ele dá um nó na gente, é muito ativo”, contou a mãe. A artesã explicou que cuidar de uma criança com deficiência demanda gastos altos e bastante dedicação. Atualmente, o filho utiliza uma cadeira de rodas para se locomover.




“Nós não tínhamos dimensão do que é esse mundo da criança com deficiência, então você vê que isso existe e tudo é muito caro”, contou. Segundo a fisioterapeuta Carina Gonçalves, de 34 anos, que acompanha o quadro clínico de Fabrízio, o menino precisa começar a se locomover sozinho, o que só é possível com a tecnologia deste tipo de andador.