MATÉRIA G1 – Em uma das idas ao supermercado em Curitiba junto com a esposa, Alisson Fernandes dos Santos, de 43 anos, foi impedido de entrar no local porque usava uma máscara de proteção transparente feita de plástico PETG. Alisson é surdo, e este modelo de máscara permite a leitura labial.




“Me senti excluído”, afirmou Alisson, que é doutor em bioquímica. A situação aconteceu em 13 de agosto e foi contada ao G1 pelo Alisson e pela esposa dele, a professora Aline Gonçalves dos Santos, de 39 anos.

“Logo na entrada, fomos em direção à medição de temperatura que eles fazem e já veio o segurança imediatamente, nos barrou na entrada e falou que não podia entrar com aquela máscara”, disse Aline.
Aline também usava a máscara de plástico, pois, auxilia na comunicação dela com o marido.




Alisson não fala a Língua Brasileira de Sinais (Libras), portanto, depende da leitura labial. Aline explicou isso ao segurança e ainda falou que se tratava de uma máscara inclusiva.