VIA RS NOTÍCIAS – O governo do estado anunciou o leilão do terreno onde funciona a Associação Mata Ciliar, no bairro Chácara Aeroporto, em Jundiaí (15). Atualmente, 800 animais vivem na área de 30 mil metros quadrados.




São 25 anos no mesmo endereço e muitos animais silvestres já foram salvos pela Associação Mata Ciliar. O local serve de referência para mais de 120 municípios do estado de São Paulo. O presidente da Mata Ciliar afirma que foi surpreendido com a notícia da venda do espaço.

“Há uns anos houve um movimento do estado para venda de áreas, na oportunidade o Centro Paula Souza fez um levantamento e ficou acertado que a área da Mata Ciliar ficaria fora da comercialização, mas não avançou”, contou o presidente.




Todos os espaços são montados de acordo com a necessidade de cada espécie. Os animais silvestres que chegam na associação para atendimento veterinário e reabilitação.

Em nota, o Governo do Estado informou que a alienação do imóvel de propriedade do Estado de São Paulo foi autorizada pela Lei 16.338/2016, e desde 2019 o ativo integra a carteira de imóveis compromissados ao fundo de investimento imobiliário.




“O estado e a administradora do fundo estão estudando as possibilidades de uso e exploração da área, de modo que ainda não há prazo para a Associação deixar o local”, informou a assessoria de imprensa do estado.

Reação imediata

O prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado falou sobre a decisão anunciada pelo Governo Estadual em seu perfil no Twitter, no domingo mesmo.

“Quero deixar registrado meu posicionamento contrário à decisão do Governo do Estado de colocar à venda as áreas do Instituto Agrônomo de Campinas (IAC), sem antever os impactos sobre o trabalho da ONG Mata Ciliar, que está abrigada neste local. Novamente, o governo estadual não está considerando a realidade do interior paulista e em especial de Jundiaí. É inadmissível que, com este ato, o Estado interfira nos cuidados a mais de 800 animais silvestres de nossa cidade. Sem dúvida alguma, vamos reivindicar que esta decisão se reverta em uma doação desta área à ONG Mata Ciliar, de forma que seu importante trabalho em Jundiaí não seja prejudicado” – publicou.



Texto de LFM publicado neste domingo(16), no Twitter.

Fontes: G1; Associação Mata Ciliar e redes sociais.