MATÉRIA G1 – Cerca de 26% dos profissionais da saúde municipal da capital paulista já foram diagnosticados com a Covid-19. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), dos 90 mil profissionais, 23.679 foram infectados pelo coronavírus desde o início da pandemia até julho de 2020 e 45 faleceram em decorrência da doença.




Ainda, segundo a pasta, 31.482 profissionais da saúde do município apresentaram quadros suspeitos, mas foram descartados. De acordo com a análise feita pela Secretaria Municipal de Saúde, a elevação de casos entre os profissionais de saúde aconteceu entre os dias 28 de março e 17 de maio, depois houve uma ligeira queda, mas o número voltou a crescer em meado de junho, quando atingiu um pico, com quase 200 casos confirmados, mais de mil em investigação e mais de 800 descartados.

Em junho, também houve um pico de registros de pessoas com síndromes gripais na capital paulista. No dia 1º do mês foram registrados 9.706 casos da doença, destes, 3 mil foram diagnosticados com a Covid-19. Na quinta-feira (13) a cidade de São Paulo registrava 3.931 profissionais da saúde afastados, sendo 1.117 em razão da Covid-19 e 2.787 devido a síndrome gripal.


Até quinta-feira (13) foram registrados na capital paulista 10.488 mortes e 267.239 de casos de Covid-19, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. Já de acordo com Secretaria Estadual de Saúde, na quinta (13) a capital paulista registrava 231.203 casos confirmados e 10.453 óbitos. O critério de notificação adotado pela prefeitura é diferente do da gestão estadual, pois a administração municipal considera a data em que as mortes ocorreram e não a data de registro.