A pesquisadora brasileira Carolina de Aguiar Ferreira, de 32 anos, ganhou o 1º lugar no prêmio jovem pesquisador da Sociedade de Medicina Nuclear e Imagem Molecular (SNMMI), em Reston, nos EUA. Ela que é de Belo Horizonte, desenvolve uma forma não invasiva de detectar efeitos colaterais no tratamento de câncer e faz pós-doutorado em Boston.




Carolina sobe ano a ano no pódio da SNMMI

Carolina sobe ano a ano no pódio da SNMMI, entidade internacional que existe há seis décadas e tem mais de 20 mil integrantes de 65 países, entre médicos, farmacêuticos e técnicos. Em 2018, quando participou pela primeira vez da premiação, ela ficou em terceiro lugar. Na edição seguinte, assumiu a segunda posição. Em 2020, enfim, recebeu o título de jovem pesquisadora na categoria inovação em imagem molecular.

“O prêmio é uma validação de todos estes anos de esforço. E é esforço mesmo, muita dedicação e automotivação. Ninguém faz pesquisa pelos benefícios, que são poucos. Faz porque realmente tem paixão pela pesquisa e pelo que a pesquisa pode gerar para a população”, disse ao Estado de Minas.

Ela quer ser professora e comandar o próprio laboratório, de preferência, no Brasil. “Quero pegar o conhecimento que tive a oportunidade de adquirir aqui fora e levar para o meu país”.

(Fonte: Só Notícia Boa/Foto: Reprodução)