MATÉRIA G1 – A paciente Marli Fruzina, que morreu com Covid-19 em Jundiaí (SP), ganhou uma homenagem da família nesta semana, um mês depois da morte. A dona de casa ficou internada do dia 7 ao dia 20 de maio no Hospital São Vicente.

“Dói muito saber que você não está mais com a gente aqui, com esse seu sorriso lindo, com a sua alegria que contagiava qualquer um. Estou morrendo de saudade de você. Tem sido dias difíceis, mas de uma certeza eu sei que na eternidade eu vou te ver”, escreveu a filha, Maria Eduarda Santos, na legenda de um vídeo publicado nas redes sociais.

Ao G1, a filha contou que a mãe, de 56 anos, era viúva havia 12 anos e criou os quatro filhos sozinha, trabalhando como empregada doméstica. Atualmente, Marli também tinha três netos.

Moradora do Jardim Bonfigliori, ela sentiu os primeiro sintomas da doença no dia 1º de maio, quando ficou acamada e chegou a sentir melhora no quadro antes da internação. Marli tinha pressão alta e diabetes.

Ainda de acordo com a filha, no dia 7 de maio, a mãe chegou a ser liberada. Contudo, horas depois voltou ao hospital e o resultado para coronavírus saiu no dia 9. Contudo, 11 dias após, a família foi informada que a dona de casa não havia resistido.

“Minha mãe não teve velório, não pôde colocar flores, não pôde abrir o caixão, não pôde nada. Uma dor que não desejo a ninguém”, contou a filha Maria Eduarda Santos.