MATÉRIA G1/ TV TEM – O cardiologista Orandy Foelkel Congilio, considerado o mais antigo em atividade no Brasil, morreu na segunda-feira (25), aos 95 anos. Ele será enterrado nesta terça-feira (26), no Cemitério Parque dos Ipês, em Jundiaí (SP). A causa da morte ainda não foi confirmada.




Apesar da idade avançada, Orandy ainda atendia no Hospital Pitangueiras e em uma clínica particular da cidade.

O médico morou e prestou serviço em diversas cidades do interior de São Paulo, como Campinas e Dracena. Durante a trajetória profissional, trabalhou em pronto-socorros, clínicas e diversos hospitais públicos e privados.

‘Até quando aguentar’

Em setembro de 2018, Orandy contou ao G1 que trabalhou na inauguração do Maracanã, no Rio de Janeiro. Durante a entrevista, o médico também chegou a dizer que iria continuar trabalhando enquanto aguentasse. Aposentado desde 1977, ele continuou atendendo por 43 anos.




“Já me aposentei de todas as minhas outras funções, menos da medicina. Vou trabalhando até quando aguentar, até quando a vida deixar”, disse o cardiologista. Orandy foi homenageado na Faculdade Nacional de Medicina em agosto de 2018. Além disso, a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp) afirmou que o médico era “sem sombra de dúvidas, o cardiologista mais longevo em atividade no Brasil”.